quarta-feira, 10 de novembro de 2010

ABSINTO-ME

Há muito não me sinto
Apenas absinto,
então abstraio minha parte inteira
que não me quis oculto.

Há muito não me quis ser,
então esvai-me
ao enquanto de um vácuo imóvel

Então findei-me
em sonho cru
e perdi-me na inércia suave
de um beijo no rosto. Engano!

3 comentários:

  1. Esse é o pior absinto que se pode beber! Não recomendaria a ninguém, mas todos um dia o provarão, a maioria das vezes sem querer.

    Final de semana estou aí. Vamos tomar nossa tradicional cervejinha? Absinto só de boa qualidade, ok? auhauhauh

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Sentir do absinto
    lindo poema alcoólico!

    ResponderExcluir
  3. Visitando tua casa e sentindo-me. me perdendo entre antiquados quadros e mobília cheirando tinta fresca. escorrendo. liquefeita entre essa matizes de ser/sentir/fazer-se a cada palavra, voz, verdade ou pequenas melancolias. descendo escadas vazias ou subindo álcool. olhos, narizes, boca, cicatriz. paredes passageiras. sentindo-me em casa...

    ResponderExcluir